[addthis tool="addthis_inline_share_toolbox_tjqy"]

lanche da tarde para bebê de 1 ano

Lanche da tarde para bebê de 1 ano: veja dicas e receitas

Quando o bebê completa os 12 meses, começam as dúvidas dos pais e mães. É  nesse momento que começam a se perguntar o que seria um lanche da tarde para um bebê de 1 ano adequado e equilibrado.

Hoje, no Brasil, temos muitas vezes dois cenários bem distintos – o exagero, marcado principalmente por um excesso de alimentos processados e ultraprocessados; e, no extremo oposto, uma escassez, seja por questões econômicas ou por crenças ligadas aos mitos das dietas e do medo de engordar.

E isso, com certeza, se reflete nas nossas crianças.

Uma alimentação equilibrada, preferencialmente, deve começar na infância. Por isso se você procura ideias de lanche da tarde para bebê de 1 ano, já é um bom começo: significa que está buscando oferecer mais qualidade para o seu pequeno. E muito provavelmente você verá boas consequências no desenvolvimento físico e cognitivo dele se cuidar dessa parte com carinho.

Rotina alimentar de bebê de 1 ano: a hora de ser criativo é agora!

Com um aninho de idade, muitas crianças têm seu apetite reduzindo.

Isso acontece, porque nessa fase, o crescimento não é tão acelerado quanto nos 12 primeiro meses, e, de um modo geral, elas ganham apenas de 2,5kg a 3 kg até completar 24 meses.

Muitos pais se desesperam quando o bebê não quer comer.

O ideal é respeitar a fome do pequeno, porque, acredite ou não, eles sabem identificar muito bem a hora que estão satisfeitos – diferente de muitos adultos, que acabamos perdendo a noção de saciedade com o tempo.

No entanto, essa é uma fase de extrema curiosidade e o seu filho provavelmente vai ficar muito atento a tudo que está acontecendo ao seu redor.

Pode ser que ele também já esteja aprendendo a falar, e, assim, passar a pedir o que tem vontade.

Os primeiros dentinhos já nasceram, e isso ajuda a triturar melhor os alimentos sólidos. Além disso, ele já vai estar apto a interagir com os alimentos com as próprias mãos.

Resumindo, esse é um campo muito fértil para novas descobertas alimentares!

Sendo assim, ao buscar alternativas de lanche da tarde para seu bebê de 1 ano, procure ampliar a oferta de alimentos in natura e reduzir os industrializados. Fuja das refeições monótonas, varie nas escolhas e também no modo de preparo.

Assim, seu filho terá mais chances de apreciar novos sabores.

Nutrientes queridos na alimentação de bebê de 1 ano

Vamos começar pelo aspecto nutricional. A primeira dica que vou dar nesse sentido é sobre a origem do alimento que você escolhe para compor o lanche da tarde para o seu bebê de 1 ano.

Sabemos que o tempo é o grande vilão quando o assunto é alimentação, mas se você quer que seu filho cresça com saúde e uma boa relação com a comida, seria mais interessante acostumá-lo, desde cedo, às preparações mais caseiras. Comida de verdade fresca e caseira é uma excelente forma de melhorar a qualidade da alimentação em casa, conforme explico no vídeo a seguir:


Sei que na correria os alimentos industrializados acabam sendo uma alternativa, até mesmo para lanche da tarde de bebês de 1 ano. Alguns exemplos são preparações para bolos (ou bolinhos prontos industrializados), bolachas recheadas, achocolatados, sucos adoçados e refrigerantes.

Se for algo ocasional e esporádico, não tem problema nenhum!

A questão é que quando esse hábito entra no cotidiano, seu filho pode acabar se acostumando demais com os sabores artificiais e, assim, perder o interesse nos alimentos in natura, como frutas, legumes, vegetais, grãos, carnes, leite, queijos e etc., que são riquíssimos em nutrientes.

Um estudo do Programa de Pós-Graduação em Nutrição da Faculdade de Saúde Pública, publicado no Jornal de Pediatria, analisou a prevalência do consumo de alimentos ultraprocessados entre criança menores de 1 ano de idade.

Após entrevistarem 198 mães na região metropolitana de São Paulo, os pesquisadores verificaram um alto consumo de alimentos ultraprocessados entre bebês de 6 a 12 meses de idade. A prevalência deste tipo de alimento foi de 43,1%, sendo que as crianças que não estavam sendo amamentadas apresentaram um consumo ainda maior.

Os números não mentem: no Brasil se come cada vez mais comida industrializada.

Gosto de acalmar os pais e mães dizendo que não precisa ser radical: os alimentos ultraprocessados também não são veneno! Não tem problema deixar os avós “estragarem” a alimentação do seu filho de vez em quando. Mas é fato que uma alimentação de qualidade é composta por mais comida verdadeira.

Então, que tal pesquisar receitas práticas que não tomem muito tempo e que possam ser deliciosas opções de lanches da tarde para o seu bebê de 1 ano?

Deixo aqui duas ideias bem gostosas que eu tenho certeza que farão sucesso na sua casa!

Lanche da tarde para bebê de 1 ano: receitas

Vamos a duas receitas práticas que costumam fazer muito sucesso com a criançada!

Bolo de caneca

Ingredientes

  • 1 colher (sopa) de manteiga ou óleo
  • 3 colheres (sopa) de leite
  • 1 ovo
  • 3 colheres (sopa) de açúcar (branco, mascavo ou demerara)
  • 1 ou 2 colheres (sopa) de cacau em pó
  • 2 colheres (sopa) de farinha de trigo
  • 1 colher (sopa) de farinha de aveia
  • ½ colher (chá) de fermento em pó

Modo de preparo

Em uma tigela média (que possa ir ao microondas), coloque a manteiga e derreta por 30 segundos, ou até que fique líquida. Acrescente o leite e o ovo, e misture bem com um batedor de arame ou com um garfo. Junte o açúcar, o cacau, as farinhas e o fermento. Misture bem, até que a massa fique homogênea.

Divida a massa em 3 ou 4 potinhos, canequinhas ou forminhas de silicone, sem deixar ultrapassar 2/3 da capacidade do recipiente. Leve ao microondas por 1 a 3 minutos (vai depender da potência do microondas). Aconselho a cada 1 minuto abrir e olhar se o bolinho já está pronto!

Dica 1: se você usar potinhos de vidro com tampa, ou forminhas de cupcake, pode fazer um estoque maior e congelar.

Dica 2: Se quiser variar, também dá para colocar pedaços de frutas frescas ou secas na massa.

Picolé de frutas

Ingredientes

  • Uma polpa de fruta (morango, uva, maracujá, açaí, goiaba, etc.)
  • 1 colher (sopa) de açúcar demerara ou mel (opcional)
  • 1 xícara de iogurte natural (veja minha receita fácil e caseira)

Modo de preparo

Bata todos os ingredientes no liquidificador. Coloque a mistura nas forminhas de picolé e leve ao freezer por 10 horas ou até endurecer. Na hora de servir cuidado de não servir um picolé congelado demais que pode machucar a língua e boca do bebê!

Bon appétit!

Referências

Aprenda mais sobre Alimentação Infantil

Aproveitando que estamos falando sobre alimentação infantil, deixo aqui também a indicação do programa online Efeito Sophie na Alimentação Infantil, criado pela Sophie Deram, nutricionista e autora aqui do blog, em parceria com a nutricionista Janaina Kühn.

A Sophie também é mãe de quatro filhos quis criar esse programa com o intuito de ajudar milhares de mães e pais de família que buscam uma alimentação equilibrada e fácil de levar no dia a dia.

São quatro módulos online, que você pode assistir quando estiver indo para o trabalho ou na academia, e que vão te ajudar a repensar a alimentação como uma parceira na sua vida e não uma vilã que só te estressa.

Quer saber mais sobre o programa? Clique aqui e saiba mais sobre o programa online Efeito Sophie na Alimentação Infantil.

Se você gostou dessa leitura, provavelmente vai gostar destas aqui que separei para você:

    • Olá Priscila, como vai?

      Como profissionais que além da saúde cuidamos do bem estar global dos indivíduos, devemos ter um olhar reflexivo e avaliar o contexto no qual se aplicam as recomendações trazidas nas diretrizes. Com relação ao açúcar, o Ministério da Saúde afirma que preparações que tenham açúcar como ingrediente (ex.: bolos, doces, geleias e biscoitos) não devem ser oferecidas para criança nos dois primeiros anos de vida.
      Porém, a recomendação do próprio ministério é que “se a alimentação da família for saudável, a comida da criança não precisa ser diferente da família.”
      Então, caso o ambiente familiar possua uma alimentação equilibrada, constituída principalmente de alimentos in natura e minimamente processados, será que o consumo de preparações culinárias caseiras à base de comida de verdade e com teor reduzido de açúcar será realmente prejudicial? Afinal, um bolo caseiro não deveria ser categorizado da mesma forma que um bolo ultraprocessado ou balas, docinhos, tortas recheadas, sobremesas, sorvetes, bebidas açucaradas etc.
      Talvez o Ministério da Saúde tenha optado por indicar essa orientação pelo fato de ser muito comum, a partir de um ano de idade, a exposição da criança a alimentos ultraprocessados. Isso acontece por existir uma crença muito forte na ideia de que após um ano tudo passa a ser permitido. Muitas vezes, alguns familiares ficam esperando o momento no qual finalmente a criança vai poder provar chocolates, biscoitos e balas açucaradas. Essa também é a fase em que muitas crianças começam a frequentar a escola e suas famílias, por uma questão de praticidade, enviam como lanche alimentos ultraprocessados com alto teor de açúcar, gordura e sódio.

      Abraços,

      Gabriella Villas Bôas – Equipe Sophie

  • Fiquei com uma dúvida. A maioria dos lanches leva açúcar. A orientação da sociedade brasileira de Pediatria não é oferecer o açúcar apenas com 2 anos?

    • Olá Anna Karyne, tudo bem?

      Como profissionais que além da saúde cuidamos do bem estar global dos indivíduos, devemos ter um olhar reflexivo e avaliar o contexto no qual se aplicam as recomendações trazidas nas diretrizes. Com relação ao açúcar, o Ministério da Saúde afirma que preparações que tenham açúcar como ingrediente (ex.: bolos, doces, geleias e biscoitos) não devem ser oferecidas para criança nos dois primeiros anos de vida.
      Porém, a recomendação do próprio ministério é que “se a alimentação da família for saudável, a comida da criança não precisa ser diferente da família.”
      Então, caso o ambiente familiar possua uma alimentação equilibrada, constituída principalmente de alimentos in natura e minimamente processados, será que o consumo de preparações culinárias caseiras à base de comida de verdade e com teor reduzido de açúcar será realmente prejudicial? Afinal, um bolo caseiro não deveria ser categorizado da mesma forma que um bolo ultraprocessado ou balas, docinhos, tortas recheadas, sobremesas, sorvetes, bebidas açucaradas etc.
      Talvez o Ministério da Saúde tenha optado por indicar essa orientação pelo fato de ser muito comum, a partir de um ano de idade, a exposição da criança a alimentos ultraprocessados. Isso acontece por existir uma crença muito forte na ideia de que após um ano tudo passa a ser permitido. Muitas vezes, alguns familiares ficam esperando o momento no qual finalmente a criança vai poder provar chocolates, biscoitos e balas açucaradas. Essa também é a fase em que muitas crianças começam a frequentar a escola e suas famílias, por uma questão de praticidade, enviam como lanche alimentos ultraprocessados com alto teor de açúcar, gordura e sódio.

      Abraços,

      Gabriella Villas Bôas – Equipe Sophie

  • Olá, e para quem realmente quer evitar dar açúcar para seus bebês, (o que é minha intenção – pelo menos até quando eu consiga controlar), quais são as opções, por exemplo, para lanches entre refeições? Atualmente a alimentação da minha bebê extra-refeição principal tem sido frutas, e eu queria justamente variar.

    • Olá Daniela, tudo bem?
      No caso das receitas, você pode adaptá-las retirando o açúcar 😉
      Para dúvidas mais específicas o ideal é procurar um profissional de saúde especializado para que ele possa acompanhar sua bebê de forma individualizada. Uma consulta presencial é sempre muito importante.
      Abraços,
      Nathália – Equipe Sophie

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *