[addthis tool="addthis_inline_share_toolbox_tjqy"]

padrões de beleza na sociedade

Imagem não é tudo! Vamos falar sobre padrões de beleza na sociedade?

O que é belo para você? Você já parou para se questionar se realmente aprova os padrões de beleza na sociedade? Se concorda com a ditadura da magreza com a qual nos acostumamos, forçadamente, a conviver?

Emagreça de forma sustentável. Conheça o programa que te ensina a fazer as pazes com a comida!

Uma das minhas missões como nutricionista é ajudar as pessoas resgatarem seu amor próprio, e passarem a valorizar mais o corpo que têm! Por isso, começo este artigo reforçando que magreza, saúde e felicidade são coisas totalmente distintas. Uma não depende da outra!

Primeiro é preciso entender que nossas referências mudaram, por isso, muitas vezes estes conceitos se confundem. Vivemos em um mundo em que aparência magra é super valorizada! Só que balança não é indicador de felicidade, de sucesso ou de bem-estar.

O artigo de hoje é um convite para passarmos a nos amar mais. Mas, para isso, é preciso começar a reavaliar os padrões de beleza na sociedade atual. Vamos comigo?

O mito da beleza

Há algumas décadas, uma mulher considerada bonita era aquela que esbanjava curvas. Ter um corpo mais cheio era sinônimo de beleza e força. Em 1954, Martha Rocha ganhou a faixa da primeira Miss Brasil com um corpo curvilíneo. Será que ela ganharia hoje? Acho que não.

Hoje, quando se fala em padrões de beleza na sociedade, as referências são as blogueiras fitness e modelos super magras.

Só que ada um de nós têm um metabolismo, formato de corpo, genética, rotina e necessidades biológicas distintas. O que cada um precisa é encontrar o seu peso saudável, que não é necessariamente o peso das capas de revista.

O segredo não é restrição/dieta, mas procurar comer melhor. Conheça o Efeito Sophie!

Indústria da beleza ganha força das redes sociais

Vender magreza é lucrativo: dietas da moda, remédios, suplementos, produtos supostamente naturais e milagrosos…tudo isso movimenta bilhões de dólares no mundo inteiro.

As redes sociais reforçam estes padrões de beleza na sociedade, que aparentemente vendem um estilo de vida saudável, mas, na vida prática, parecem pouco viáveis. É preciso lembrar que foto de capa de revista não reproduz a verdade. Quase tudo tem Photoshop.

E este padrão inatingível alimenta cada vez mais a busca pela magreza, que pode levar a um comer transtornado e a uma guerra com a comida, que acaba com nosso bem-estar.

Em busca de padrões inalcançáveis, muitas meninas estão arriscando a própria saúde, apostando em dietas malucas, e correndo o enorme risco de desenvolver um transtorno alimentar. É preciso mudar nossa concepção de beleza!

Padrões de beleza na sociedade: liberte-se!

Alguns dados sobre insatisfação corporal são de fato chocantes e merecem ser analisados com mais atenção. Um estudo mostrou que, após apenas alguns minutos olhando uma revista de moda, mulheres jovens demonstraram queda de satisfação com o próprio corpo.

Uma conhecida campanha da marca Dove, que já dura mais de 10 anos, chamada “Real Beleza”, também traz números impressionantes. A edição mais recente mostrou que apenas 4% das mulheres em todo o mundo se consideram bonitas. Quatro por cento! Isso é muito triste! Outro número importante revelado por esta pesquisa é que 72% das garotas sentem uma imensa pressão para serem bonitas. Que loucura, não?

É um dado chocante, mas compreensível diante de padrões de beleza na sociedade cada vez mais opressores.

Cabe a cada um de nós tentar mudar isso no dia a dia. Como? Passando a desassociar magreza de beleza, e entender que peso é apenas um indicativo, mas não o mais importante para a saúde.

Eu sei que não é algo tão simples se livrar dessa pressão pela magreza na sociedade em que vivemos. Mas vamos tentar?

  • Busque metas reais, não a barriga da capa de revista!
  • Busque saúde, em primeiro lugar. O peso saudável é a consequência de uma saúde em ordem!
  • Valorize seu corpo: ele é seu melhor amigo e é o único que terá na vida!
  • Antes de apostar em uma dieta milagrosa, pense bem! Vale a pena bagunçar seu metabolismo com restrições que não conseguirá sustentar a longo prazo? É muito melhor fazer as pazes com a comida e conquistar seu peso saudável de forma gradual e sustentável, sem sofrimento e não precisando abrir mão de momentos prazerosos em torno da comida.

A partir do momento em que passar a respeitar o seu corpo, e focar mais na saúde e menos na estética, os padrões de beleza na sociedade passarão a ser vistos com menos importância. E você se sentirá mais pleno e contente com a imagem que verá no espelho. Posso garantir que sua vida será mais feliz!

Bon appétit!

Você que já leu sobre os padrões de beleza na sociedade, aproveite e veja:

Que tal conhecer meu método Efeito Sophie, que ensina a transformar sua relação com a comida e a voltar a escutar os sinais do seu corpo? São seis semanas com vídeos e materiais que vão explicar sobre hábitos alimentares, e como recuperar o prazer de comer. Saiba mais!

  • Quando as pessoas passam a se aceitar, a relação delas com a alimentação acaba sendo mais tranquila e evitam compulsões e efeito sanfona. O excesso de restrições para se encaixar em determinados padrões acaba trazendo um efeito reverso.

    • Olá Pietra, tudo bem?
      Ficamos felizes que você gostou da postagem e que ela te ajudou de alguma forma ❤
      Abraços,
      Nathália – Equipe Sophie

  • eu achei muito bom essa reportagem e vocês poderiam fazer mais conteúdos assim concordo com tudo isso que estava nesse site

    obrigado pela atenção
    beijos

    • Olá Ana Laura!
      Que bom que gostou do conteúdo! Ficamos muito felizes com esse feedback!
      Sim, deixaremos como sugestão para os próximos artigos. 😉
      Um abraço,
      Nathália – Equipe Sophie

  • Além das causas da obesidade serem mais complexas e difíceis de controlar, do que um simples excesso alimentar.
    E para ter filhos, ou mesmo produzir bastante leite, a mulher precise acumular nutrientes.
    Atualmente é mais fácil ficar obeso por comer muito, do que ficar doente por comer pouco…
    Pois ser obeso é o “preço” que a humanidade atualmente vem pagando por ter trocado a milenar máxima do “Vamos comer para nos alimentar”, pelo atual: “Come que é gostoso”!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *