[addthis tool="addthis_inline_share_toolbox_tjqy"]

qual é o colesterol ruim

Qual é o colesterol ruim e qual sua relação com as doenças do coração?

A palavra “colesterol” geralmente tem uma imagem na cabeça das pessoas: ovo, bacon e outros alimentos gordurosos que sempre foram associados a este conceito.

Mas você sabe qual é o colesterol ruim? Primeiramente, sabe o que é o colesterol?

Colesterol não é uma doença, nem um vilão.

Trata-se de um tipo de gordura produzida no nosso organismo, especialmente no fígado, na medula e no cérebro, e que se encontra tanto no sangue quanto nas nossas células. Ele tem um papel importante na composição da membrana celular, metabolização de algumas vitaminas, na produção da bile e de certos hormônios, entre outras funções.

Uma pequena parte do colesterol presente no nosso corpo vem do que comemos. E é aí que a pergunta “qual é o colesterol ruim” faz mais sentido, pois, entendendo o que ele é e qual o seu papel, podemos determinar alguns hábitos que ajudam a mantê-lo em níveis normais.

Qual é o colesterol ruim?

O colesterol chamado de ruim é o LDL (Low Density Lipoprotein – Lipoproteínas de Baixa Densidade). A “má fama” se deve à forma como ele atua no organismo: transferindo o colesterol do fígado para os tecidos.

Já o HDL (High Density Lipoprotein – Lipoproteínas de Alta Densidade), famoso “colesterol bom”, faz o trabalho oposto: carrega o excesso de colesterol para o fígado, onde ele é metabolizado e eliminado. Daí a importância de se manter essas substâncias em equilíbrio.

Mais importante do que entender qual é o colesterol ruim e sua forma de atuação, é fazer a conexão disso com a sua alimentação e com a saúde como um todo.

Vamos entender melhor isso?

O colesterol ruim e as doenças do coração

O consenso hoje é que o excesso de colesterol ruim no organismo favorece o acúmulo de placas de gorduras nas parte interna das artérias, e diminui o fluxo sanguíneo para órgãos importantes como o cérebro e o coração. Por isso o conceito está sempre tão associado às doenças do coração como AVC (Acidente Vascular Cerebral) e infarto.

A rotina alimentar tem alguma participação neste quadro, pois existem estudos que mostram que o consumo excessivo de gordura saturada está associado ao aumento do LDL no organismo.

Isso quer dizer que você precisa tirar toda a gordura da sua alimentação? Não! Já falei em diversos artigos sobre isso: a gordura não é vilã e em quantidades moderadas faz até bem para o nosso organismo.

No entanto, é interessante, sim, evitar o consumo da gordura trans, encontrada especialmente em produtos ultraprocessados como:

  • bolachas recheadas
  • salgadinhos
  • embutidos (salsicha, salame, linguiça, mortadela)
  • caldos de carne industrializados,
  • comidas congeladas prontas, etc.

Agora, não precisa deixar de passar sua manteiga no pãozinho de manhã, consumir leite, ovos, queijo, carnes, chocolates e outras fontes de gordura que também trazem benefícios para a nossa saúde.

Com moderação, tudo pode!

O programa online que criei, Efeito Sophie, ajuda justamente nessa mudança de pensamento da relação que temos com a comida, ela não precisa ser vilã!

Sou uma nutricionista francesa e brasileira, estudo há mais de 20 anos a nutrição e o comportamento alimentar. Todo esse conhecimento apliquei em um programa de 6 semanas com vídeos, exercícios e materiais onlines.

Esse curso vai te ajudar a compreender as mensagens do seu corpo, para que você chegue ao seu peso saudável, em paz com a comida e longe das dietas restritivas da moda. Conheça o Programa Efeito Sophie!

Outros fatores associados ao aumento de colesterol

Além do aspecto alimentar, outros agentes estão associados ao aumento do colesterol ruim no organismo. Por isso eu sempre digo que é preciso enxergar o corpo como um todo, não só como o resultado das calorias que ingerimos.

Entre os principais fatores de risco estão o estresse, tabagismo e o sedentarismo, que favorece o excesso de peso e o acúmulo de gordura no corpo.

Faço um adendo importante aqui: apesar da obesidade ser um importante gatilho para o excesso de colesterol no sangue, os magros também podem apresentar colesterol elevado.

Por isso, esteja em dia com seus exames. Faça regularmente testes de sangue para acompanhar os níveis de colesterol.

Procure manter um peso saudável, reduza o consumo de frituras, de açúcar e de bebidas doces como refrigerante e sucos industrializados. Tenha uma vida ativa!

Agora que você já sabe qual é o colesterol ruim e seu impacto no desenvolvimento de algumas doenças, pode fazer o que está ao seu alcance para a manutenção da sua saúde e, consequentemente, ter uma melhor qualidade de vida!

Bon appétit!

Ficou clara qual é o colesterol ruim e sua diferença do bom? Aproveite e leita também esses posts também que separei para você:

Conta pra mim, o que você tem feito para deixar os níveis do seu colesterol normais?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *