[addthis tool="addthis_inline_share_toolbox_tjqy"]

ritmos biológicos como funciona metabolismo

Relógios no nosso corpo? Sobre ritmos biológicos e metabolismo

Existe um sistema de relógios autônomos no nosso corpo que alinham sua fisiologia ao ciclo dia/noite. É sério, não tô brincando! Esse relógio é tão organizado que tem, pasmem, um ciclo que dura 24 horas!

Em outras palavras, ele organiza os eventos que acontecem dentro do seu corpo, podendo assim antecipar e coordenar programas metabólicos quando eles são solicitados.

Ter o entendimento desses ciclos é muito importante para tomarmos melhores decisões em relação à nossa saúde. Então, neste post vamos compreender o que são os ritmos biológicos e como funciona o nosso metabolismo para ter mais saúde no dia a dia.

Como funcionam os ritmos biológicos?

Tudo tem (literalmente) sua hora para acontecer! E essa organização temporal do processos metabólicos é o que chamamos de ritmos biológicos!

Tá pensando o que? O corpo é muito sábio e organizado!

Existe um relógio chefe no nosso cérebro que sincroniza os relógios que existem em TODAS as células do seu corpo! Esse relógio é o chefe, porque ele sincroniza seu corpo de acordo com o dia e a noite.

Essa região onde ele se encontra tem comunicação direta com a retina que traz a informação de luminosidade do dia e ausência de luminosidade à noite.

Essa capacidade que nosso corpo tem de se antecipar aos eventos ambientais é de extrema importância para a perpetuação da nossa espécie. Sem dúvidas, ela foi um dos fatores que nos trouxe até aqui!

Como funciona nosso metabolismo?

Nosso metabolismo é uma rede de reações bioquímicas que nosso organismo usa para transformar moléculas com o propósito de gerar energia para as nossas funções vitais como respirar, fazer o coração bater, pensar, andar…

Essas funções precisam estar organizadas temporalmente para que tudo se encaixe bonitinho. Essa adaptação temporal dos ritmos biológicos do metabolismo é essencial para nossa adaptação a desafios ambientais (como frio, calor, dias longos, dias curtos) e pistas externas ao nosso corpo (alimentação, atividade física, etc).

Ao mesmo tempo que os relógios vão modular nossas reações metabólicas, nosso metabolismo também pode modular esses relógios.

É uma via de mão dupla, flexível.

Mas até que ponto?

Quando o relógio quebra

Somos seres diurnos.

Nossa fisiologia está adaptada evolutivamente para sermos ativos durante o dia e dormirmos durante a noite. Então, como você pode imaginar, seu corpo está em atividade e se alimenta durante o dia. Assim, normalmente, seus sinais metabólicos, como por exemplo, liberação de alguns hormônios, estão, idealmente, em ritmo com seu comportamento alimentar.

A insulina, que é o hormônio que vai colocar a glicose dentro das suas células e dar energia para suas funções, tem picos durante o dia, justamente quando você tem necessidade dela – ou seja, quando você come. Durante a noite não existem picos de insulina.

Se você come quando seu corpo deveria estar descansando (aqui vão algumas técnicas para relaxar), a glicose vai entrar em menores quantidades nas células, já que elas não estão precisando tanto de energia no momento.

Além disso, nem há tanta insulina para abrir a portinha e deixar a glicose entrar na célula. Então essa glicose vai ficar passeando pela sua corrente sanguínea. Isso é conhecido como hiperglicemia (que muitas pessoas entendem como excesso de açúcar no sangue). Hiperglicemia o tempo todo não é interessante pro seu corpo.

Fora do ritmo biológico? Isso tem consequências…

 

Se seu comportamento alimentar não está alinhado aos relógios do seu corpo, problemas podem acontecer. Esses relógios podem até tentar se adaptar, porque seu corpo gosta de organização. Eles te amam tanto que dão o máximo para se adaptar mesmo estando longe do panorama ideal…

Mas é aquela história né:

Tudo tem um limite e não devemos aproveitar demais da boa vontade das pessoas (e nem dos nossos ritmos biológicos, rs).

Lembra que te contei que existem relógios no nosso corpo todo? E que esses relógios são orquestrados pelo relógio chefe lá no cérebro que está sincronizado pelo claro/escuro/claro/escuro?

Pois bem. Esses relógios do resto do corpo se sincronizam também aos ritmos de alimentação.

E tem mais!

Eles são sincronizados pela composição do que a gente come! Comer gordura demais, por exemplo, vai quebrar a ritmicidade desses relógios. Sua vontade de comer e o ato de beliscar o tempo todo sem controlar sua fome emocional também quebram os ritmos biológicos. A propósito, veja este vídeo da Sophie Deram, autora aqui do blog, para entender melhor sobre a fome emocional:

Se esses hábitos são mantidos por longos períodos e se tornam crônicos, os ritmos metabólicos no seu sangue são perdidos e o tique taque dos relógios das células se desregula. Essa dessincronização dos relógios está associada a vários problemas metabólicos como resistência à insulina, síndrome metabólica e até diabetes do tipo 2.

Eita… e o que fazer para evitar isso?

Quando os ritmos biológicos estão funcionando bem, eles contribuem para a homeostase do seu corpo e consequentemente para a sua saúde. Então, ter uma boa noite de sono, ter uma alimentação equilibrada, respeitando sua fome e saciedade  vão manter seus relógios funcionando no ritmo que eles devem.

Ter o hábito de se preparar para dormir, desligar equipamentos eletrônicos, desconectar-se dos problemas que você teve no dia, seja com meditação, ou com uma leitura que te agrade, pode ajudar e muito!

Praticar uma alimentação consciente e intuitiva, comer calmamente e sem interferência de televisão e telefone é muito importante.

Prestar atenção à mastigação, aos sabores e estar com companhias agradáveis, além de ser um momento de prazer, também ajuda seus relógios a entender melhor o que você está comendo e tomar as providências que precisa sem pressa.

comer com atenção plena

Fazer sua última refeição algumas horas antes de ir dormir – cuidado com a ideia de que dormir com fome emagrece – é igualmente relevante.  Assim, seu corpo terá tempo de colocar tudo em seus respectivos lugares antes de mudar sua fisiologia para o modo offline.

De quebra, tudo isso vai te ajudar a ter uma noite de sono mais reparadora!

É a ciência nos dizendo para desacelerar e dar mais atenção às coisas. Estar presente e ter atenção plena nunca esteve tão na moda! Seus ritmos biológicos e seu metabolismo agradecem! 🙂

Referências

  • Bom dia,

    Achei interessante a reportagem e informações, porém como podemos pensar em nosso metabolismo para pessoas que trabalham período noturno.

    Att,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *