[addthis tool="addthis_inline_share_toolbox_tjqy"]

sintomas dislipidemia

Sintomas de dislipidemia: quais são? Como influencia na saúde?

Existe muita dúvida sobre os possíveis sintomas de dislipidemia, como eles influenciam na saúde e tratamento. Mas antes mesmo de entrarmos em detalhes, é interessante saber o que é a dislipidemia.

Vamos lá?

O que é dislipidemia?

O termo dislipidemia é utilizado quando alguém está com os níveis de colesterol e/ou triglicérides elevados no sangue.

Outro termo também utilizado nesses casos é hiperlipidemia, ou seja, acúmulo de lipídeos (ou material “gorduroso”) no sangue. Não importa a forma que chamamos, os riscos associados a esta condição estão sendo cada vez mais debatidos pela mídia e pesquisadores e profissionais da saúde.

Com esta intensa e grande quantidade de informações, muitas pessoas ficam preocupadas se estão ou não com o colesterol elevado e procuram por sintomas de dislipidemia, para então buscar ajuda de um profissional.

Bom, pensando dessa forma, vamos entender o porquê não é bom e nem seguro esperar os sintomas de dislipidemia aparecerem para você mudar alguns hábitos ou procurar acompanhamento profissional.

É comum associar aos sintomas de dislipidemia os sintomas de outras doenças que podem estar associadas aos níveis elevados de colesterol.

Doenças como a aterosclerose, hepatopatias (como a esteatose hepática não alcoólica, também conhecida como gordura no fígado), hipertensão arterial, insuficiência renal ou cardíaca, angina (“dor no peito”) e até infarto, podem estar nesta lista.

Por esta razão, ao pesquisar quais os sintomas de dislipidemia, você poderá encontrar, na lista seguinte, alguns sintomas que podem ser associados:

  • Halitose (mau hálito, com odor de acetona, por exemplo)
  • Dor no peito,
  • Dormência das mãos ou dos pés
  • Dor de cabeça
  • Fraqueza, cansaço ou fadiga
  • Desconforto gástrico Constipação (prisão de ventre)
  • Pressão alta
  • Alterações na pele

Em pessoas que não possuem uma doença genética para a elevação dos níveis de colesterol, os sintomas de dislipidemias não são comuns de identificar sem o resultado de exames de sangue.

Na grande maioria dos casos são considerados assintomáticos, ou seja, não apresentam sintomas específicos relacionados aos níveis de colesterol.

Já pessoas com condições genéticas como a hipercolesterolemia familiar, tem como características níveis muito mais aumentados de colesterol no sangue. Por conta desse excesso, os sintomas de dislipidemia genética são mais comuns. Alguns deles sinais clínicos são:

  • Xantomas tendinosos – acúmulo do colesterol nos tendões, dependendo do grau, é possível notá-los a olho nú.
  • Xantelasmas – característico do acúmulo de colesterol na região das pálpebras. Assemelha-se como saliências na pele (ou bolsinhas) de tom branco-amarelado.
  • Arco corneano – o acúmulo do colesterol na córnea d resultando em uma espécie de círculo esbranquiçado contornando o olho, também chamado de arco senil, já que é mais comum o aparecimento desse círculo em idosos.

Independentemente da causa principal da elevação do colesterol, como questões genéticas, estilo de vida ou comorbidades, é importante lembrar que hábitos alimentares e estilo de vida estão relacionados à maioria dos casos e que é sempre bom melhorá-lo.

O acompanhamento profissional e os exames de rotina também são boas ferramentas para analisar e fazer algumas intervenções mais específicas quando necessário.

A dislipidemia é uma condição silenciosa na maioria dos casos!

Então, antes que apareçam os sintomas de dislipidemia ou das doenças que podem estar relacionadas, pare alguns minutos para pensar quando foi a última vez que você fez um check-up e também sobre a sua alimentação e estilo de vida. Pequenas mudanças no dia-a-dia já fazem diferença.

Agora que você conheceu os sintomas da dislipidemia, que tal ver esses outros conteúdos que separei para você:

E você, o que tem feito para levar uma vida mais leve e saudável? Comente abaixo no espaço de comentários.

Se você briga com a balança a anos, está na hora de rever a sua relação com a comida. Eu sou contra as dietas restritivas. Você deve estar estranhando…. eu, nutricionista, estar falando isso, não é mesmo? Mas é isso mesmo, dieta engorda! Veja o vídeo abaixo para entender:

Mas e o que fazer então para chegar ao seu peso saudável? Para ajudar milhares de pessoas nesse processo, eu criei o Método Efeito Sophie e o transformei em um programa online.

São seis semanas de vídeo aulas, materiais e atividades online para você voltar a escutar os sinais do corpo, como fome e saciedade, e reaprender a levar uma relação mais tranquila com a comida. Vamos juntos nessa? Conheça agora mesmo o programa online Efeito Sophie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *