O carboidrato vive no centro das discussões sobre dieta: é proibido comer à noite? Precisa cortar de vez? O que é low carb – seria essa dieta a solução definitiva para o emagrecimento? De fato, o carboidrato rende assunto no mundo da nutrição e acaba respingando sempre na capa das revistas, na fala das famosas, nas rodas de conversa, no papo do elevador. Afinal, hoje em dia a “deixa” mais comum quando se quer puxar assunto é comida: mas infelizmente, sempre focado no que NÃO podemos comer. Bom, antes de mais nada gostaria de levantar um pouco a bola do carboidrato, para em seguida entrar na questão sobre o que é low carb. Ao invés de demonizar o pobre coitado, que tal entendermos o papel que ele tem na nossa alimentação? O carboidrato é uma das principais fontes de energia do ser humano e está presente em diversos alimentos: pães, massas, arroz, frutas e legumes… Sendo assim, mais do que nos fornecer energia, este nutriente também é essencial para a realização de várias funções metabólicas. O carboidrato fornece uma fonte rápida de glicose, que é nossa gasolina. O seu cérebro se nutre de glicose, assim como seus músculos, células, etc…

O segredo não é restrição/dieta, mas procurar comer melhor. Conheça o Efeito Sophie!

O que é low carb?

Não é preciso fazer muito esforço para encontrar a resposta para a pergunta: “o que é low carb”, afinal, o que não falta na internet são orientações duvidosas sobre dietas da moda. E essa é mais uma delas. Como o próprio nome já diz, o plano low carb é baseado em pouco ou quase nada de carboidrato. No lugar dele, entram os alimentos ricos em proteínas e gorduras. Já me posicionei muitas vezes contra as dietas que excluem um grupo alimentar inteiro, e nesse caso não seria diferente. Afinal, o que é low carb? Na maioria dos casos, esse low carb não deixa de ser uma dieta restritiva, e dietas restritivas não funcionam, porque não são sustentáveis a longo prazo. Elas podem alterar sua relação com a comida, especialmente com os carboidratos, e ocasionar perdas de controle quando voltar a comer! Não se engane, mesmo se consegue manter o foco, é pouco viável passar o resto da vida sem comer pão, macarrão e arroz.

Cortar carboidrato emagrece mesmo?

A resposta a essa pergunta é matemática: claro que excluir toda a fonte de carboidrato da sua alimentação vai trazer um emagrecimento imediato. Mas isso não acontece de forma saudável: a ausência desse nutriente é entendida como uma agressão ao corpo. Com isso, o organismo vai buscar sobreviver procurando em suas reservas os nutrientes que estão faltando. Ou seja, alguma gordura vai de fato embora, mas músculos também. E perder massa magra não é bacana em termos de saúde! Sempre gosto de relembrar que o corpo entende dieta restritiva como um período de escassez, de inanição. Para se defender, ele irá tentar se adaptar aumentando o apetite e diminuindo o metabolismo. É por isso que 95% das pessoas que fazem dieta restritiva acabam engordando de novo.

Carboidrato engorda? Pode comer a noite? Confira meu vídeo sobre o tema!

Faça as pazes com o carboidrato!

A pergunta “o que é low carb”, na verdade, é bem antiga. Ela só aparece como uma roupagem diferente de tempos em tempos porque isso faz parte do mercado das dietas: demonizar alimentos ou grupos alimentares. A má fama do carboidrato ganhou força na década de 70 com a dieta do Robert Atkins, que justamente vendia a ideia de que o carboidrato seria a principal causa de obesidade no mundo. Ou seja: tirem carboidrato, comam proteína e gordura. Emagreçam! Mas será que isso faz sentido? Com base na ciência e na minha experiência, não acredito que isso possa contribuir nem para o emagrecimento saudável e nem para uma boa relação com a comida. Luto diariamente para desconstruir a ideia de que existem alimentos bons ou ruins. O carboidrato por si só não é o culpado pela epidemia de obesidade que assola o planeta. É verdade que consumimos demais no nosso cotidiano, o Brasil é um dos campeões do excesso de açúcar e precisamos sim diminuir o consumo. Mas não é tão simples assim, o buraco é muito mais embaixo!

Variar é tudo de bom!

Volto a repetir o “mantra” já amplamente conhecido por quem busca o equilíbrio: “tudo em excesso faz mal”. Mas restringir totalmente também não é o melhor caminho, porque não é fácil administrar este tipo de mudança para o resto da vida. O pão ou o arroz, por exemplo, são alguns dos alimentos mais presentes na nossa cultura. E o que dizer da pizza, um símbolo de festa, de alegria? O que proponho sempre é uma alimentação equilibrada e diversificada, pode carboidrato sim! Se você se alimentar exclusivamente de carboidratos, com certeza vai acumular gordura. Agora, se conseguir incluir mais legumes e frutas, combinar uma alimentação variada ao longo do seu dia, respeitar os sinais de fome e saciedade e, se hidratar de preferência com água, estará no caminho para chegar ao seu peso saudável, que provavelmente não é o peso ou as medidas das capas de revista!. Foque na saúde e não no peso! Procure priorizar os alimentos in natura, e diminuir o consumo dos ultraprocessados. Variedade e prazer são as palavra-chaves para quem quer fazer as pazes com o próprio corpo: comendo um pouco de tudo, com moderação, o dia a dia fica mais leve e o ato de comer volta a ser um prazer. Bon appétit! Veja também:

Que tal conhecer meu método Efeito Sophie, que ensina a transformar sua relação com a comida e a voltar a escutar os sinais do seu corpo? São seis semanas com vídeos e materiais que vão explicar sobre hábitos alimentares, e como recuperar o prazer de comer. Saiba mais!