[addthis tool="addthis_inline_share_toolbox_tjqy"]

como trabalhar a mente para emagrecer

Como trabalhar a mente para emagrecer em 4 passos?

Faz bastante sentido perguntar como trabalhar a mente para emagrecer em um mundo em que existe um número crescente de pessoas que sofrem com obesidade e excesso de peso. 

Ao mesmo tempo que esse número cresce, aumenta a quantidade de informações sobre emagrecimento, mas acreditem… 

Até agora, nenhum país conseguiu diminuir a prevalência de obesidade!

A maioria das informações trazem uma fórmula “simples”: fechar a boca + malhar. Aliás muitas das pessoas que vêm consultar comigo no meu consultório sempre escutaram isso. Porém, para se chegar a um corpo equilibrado e saudável é preciso mais que isso, pois a alimentação equilibrada começa na cabeça.

Por isso neste, post vamos entender como trabalhar a mente para emagrecer em 4 passos!

A psicologia da alimentação

Quando colocamos um alimento na boca diversas informações chegam ao nosso cérebro, fazendo com que nosso organismo reconheça o sabor da comida e perceba se precisamos comer mais. 

Nosso humor, personalidade, pensamentos, memórias, e o contexto cultural e socioeconômico no qual vivemos influenciam a decisão por consumirmos determinados alimentos. 

O conhecimento que vem de fora também influencia o modo como nos relacionamos com os alimentos. 

Você já comeu um alimento pensando em outro? 

Por exemplo, quando tomamos água de coco pensando ser água mineral, o cérebro demora um tempo para perceber o gosto adocicado da água de coco.  

Escolher o que comer envolve processos mentais e julgamentos sobre as opções que temos. 

Como comemos, em que circunstâncias, lugar e com quem? 

Aceitar ou rejeitar um alimento também dependerá dessas informações, do contexto social, das memórias que temos e dos sinais de fome e saciedade. 

Além disso, a alimentação se relaciona com nossas emoções. É comum comermos porque estamos felizes, para celebrarmos a vida ou uma promoção no emprego, ou porque estamos tristes. 

Isso é totalmente normal

Mas essa atitude pode nos trazer problemas se estamos frequentemente tentando resolver nossos problemas por meio da comida, é o que chamamos de fome emocional (liberte-se)!

Por isso, hoje podemos falar em reprogramar o cérebro e mudar os gostos alimentares ou seja,  pensar em como trabalhar a mente para emagrecer

Sem mais demora, vamos aos 4 passos simples abaixo!

Como trabalhar a mente para emagrecer? 4 passos

como trabalhar mente emagrece

1) Foque no aqui e agora!

A primeira dica de como trabalhar a mente para emagrecer é focar no momento presente e aceitar a sua saúde, seu peso e o seu corpo como se apresentam agora. 

Isso não significa passividade, nem que você não possa querer mudar ou emagrecer de forma saudável. Mas quando aceitamos algo a mudança positiva torna-se bem mais fácil.   

Não foque no peso, nem no emagrecimento. 

A perda de peso é apenas uma das consequências de mudanças de comportamento mais saudáveis, e não sinônimo de felicidade, conforme explico no vídeo a seguir: 

Portanto, não acredite que só poderá fazer determinadas coisas ou ser feliz quando atingir essa perda de peso. 

2) Não faça dietas restritivas

Se você está procurando como trabalhar a mente para emagrecer, vou te dizer o que não fazer: dietas restritivas!

As dietas restritivas estão associadas com a “mentalidade de dieta”. 

Esta é uma crença difundida socialmente de que a saúde e a perda de peso vêm com o “corte” de uma série de nutrientes (como carboidratos, lactose, glúten, etc.), ainda que não tenhamos nenhuma condição de saúde que justifique esta atitude. 

Já sabemos porque as dietas restritivas não funcionam! Mas é sempre bom lembrar… 

Pois é, fazer dietas e restringir grupos alimentares pode levar à compulsão alimentar. A restrição aumenta o estresse e reprograma o cérebro, que busca cada vez mais alimentos que nos trazem uma recompensa mais imediata, como aqueles de alta densidade calórica. 

As restrições provocam uma desconexão entre mente e corpo de modo que comemos cada vez mais por influência de fatores externos e ouvimos nosso corpo cada vez menos. 

As consequências disso? 

Não sabemos a hora de comer, nem de parar de comer, não escolhemos os alimentos que estamos com vontade de comer, mas aqueles que são vistos como “bons” ou que estão na moda. 

Comer transforma-se em um ato mecânico, que não atende aos nossos sinais internos de fome e saciedade e não nos traz satisfação.

3) Permita-se comer

A permissão incondicional para comer é o ponto chave para fazermos as pazes com a comida. Muitas vezes interpretamos esta permissão de forma equivocada. Não é o mesmo que comer o que quiser sem nenhum critério… 

É um incentivo ao questionamento, à escuta da nossa fome e das nossas vontades e desejos, do tipo:

  • “Será que eu realmente estou com vontade de comer chocolate agora?” 
  • “Preciso comer brócolis mesmo sem gostar?” 
  • “O que mais me apetece no momento?”

Quando nos permitimos comer de tudo anulamos o sentimento de culpa por comermos algo “proibido”. É esta culpa que gera mais vontade de comer determinados alimentos. 

Sei que é difícil para pessoas que fizeram ou fazem dietas acreditarem que podem comer de tudo de forma equilibrada. 

Mas é quando nos permitimos comer aquilo que realmente queremos que nos tornamos livres para comer de forma saudável. 

4) Coma de forma consciente

Todos nós somos expostos a situações em que fazemos escolhas alimentares de forma inconsciente. Algumas coisas contribuem para isso.

Uma delas é a exposição aos alimentos. Isso aumenta as chances de comermos mais do que precisamos e sem perceber o quanto realmente consumimos. 

Para evitar essa exposição desnecessária não deixe alimentos próximos e visíveis ao seu redor. 

Por outro lado, se seu intuito é aumentar o consumo de água ou de determinados alimentos que você não tem o hábito de comer, deixe-os à vista.

Utilizar utensílios maiores também pode nos levar a comer em excesso. 

Faça o teste! 

Se você pegar dois pratos de tamanhos diferentes e colocar a mesma quantidade de comida neles, é provável que acredite que comeu mais e melhor no prato menor, que aparenta estar mais cheio. 

Do mesmo modo, quando você compra uma porção maior de um alimento, geralmente influenciado pelo preço, é muito provável que coma mais do que o necessário.

Comer enquanto fazemos outras coisas também contribui para uma alimentação inconsciente. Nesse caso, não nos concentramos no que estamos comendo, nem nas informações que o nosso corpo envia, como os sinais de fome e saciedade. 

Portanto, concentre-se no momento presente, reserve um tempo para as refeições, ponha a mesa e saboreie a comida com prazer!

Dica final sobre como trabalhar a mente para emagrecer!

Mesmo você tendo aprendido bastante sobre como trabalhar a mente para emagrecer neste texto, você pode precisar de acompanhamento mais próximo para alcançar suas metas de saúde. Busque sempre ajuda profissional!

E se caso queira ainda mais informações e dicas sobre como trabalhar a mente para emagrecer, então minha última dica é você dar uma olhada no meu curso online Efeito Sophie!

Nele, eu não vou falar sobre as últimas dietas da moda, alimentos milagrosos e fórmulas mágicas de emagrecimento – até porque não acredito em nada disso.

Ao invés, eu vou te ajudar a identificar o seu comportamento e relacionamento diante da comida.

A minha missão é te ajudar a fazer as pazes com a comida e corpo, e você possa encarar a alimentação como algo prazeroso, sem estresses e muito menos culpa.

Com algumas dicas práticas, sempre focando na sua saúde e no seu bem-estar, você poderá alcançar o SEU peso saudável, de forma gradual e duradoura. O peso é conseqüencia da sua saúde.

→ Se inscreva e comece hoje mesmo o curso online Efeito Sophie! ← 

Vamos juntos nessa?

Referências:

  • PIMENTA, Filipa et al. O peso da mente – Uma revisão de literatura sobre factores associados ao excesso de peso e obesidade e intervenção cognitivo-comportamental. Aná. Psicológica,  Lisboa ,  v. 27, n. 2, p. 175-187,  jun.  2009.
  • Marle Alvarenga et al. Nutrição comportamental. Barueri: Manole, 2015.

Se você gostou dessa leitura sobre como trabalhar a mente para emagrecer, provavelmente vai gostar destas aqui que separei para você:

  1. O que é ter uma mente magra? Você realmente precisa dela?
  2. Sem motivação para emagrecer? 5 dicas simples [que funcionam]
  3. Algas marinhas para emagrecer? Saboreando sem mitos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *