[addthis tool="addthis_inline_share_toolbox_tjqy"]

O que comer antes de malhar?

O que comer antes de malhar?

Você decide que vai começar a malhar. Escolhe a atividade, o local, a roupa, ajusta sua agenda… e aí surge a dúvida: O que comer antes de malhar? O que é saudável para o lanche “pré-treino”?

Primeiro de tudo: carro sem combustível, para!

É importante já deixar claro que realizar um exercício físico em jejum pode causar um mal-estar e até queda da glicemia e, consequentemente, problemas! Portanto, aquela dieta da revista que fala que jejum antes do treino faz milagres definitivamente não considero uma boa opção.

Quanto mais natural, melhor!

Escolher o que comer antes de malhar não é um bicho de sete cabeças. Aposte na simplicidade. Pense em alimentos que irão conversar bem com o seu corpo e que trarão a energia necessária para a atividade. Uma refeição equilibrada de maneira geral inclui alimentos variados e de todos os grupos alimentares como: energéticos (pães, massas, arroz, batata, mel, aveia, azeite, manteiga), alimentos construtores (ovos, carnes, leite e derivados, feijão, grão de bico, lentilha, ervilha) e alimentos reguladores (frutas, verduras e legumes). Lembrando sempre que não podemos deixar de lado o prazer em comer, que faz parte desse ritual. Ou seja, até aquele mingau de aveia com banana picadinha da vovó pode ser uma boa opção!

E o frango com batata doce? Pode?

Pode sim, sem nenhum problema, caso você goste. Porém, não faz parte da nossa cultura alimentar comer frango com batata doce no lanche da tarde, por exemplo. Pode ser parte de uma refeição como o almoço – um escondidinho de frango com batata doce vai muito bem com uma salada verde fresquinha. Nesse ponto devo frisar que a variedade é fundamental em toda e qualquer refeição! Só assim conseguimos assimilar nutrientes diferentes para o nosso organismo, que serão essenciais em diversas vias do metabolismo (e isso também quer dizer que a pessoa não deve viver unicamente de frango com batata doce, como vemos por aí).

O segredo não é restrição/dieta, mas procurar comer melhor. Conheça o Efeito Sophie!

Pense na quantidade: malhar com fome não dá!

Para definir o que comer antes de malhar você também deve considerar sua fome e saciedade. Não adianta comer duas castanhas antes da atividade e iniciar com a sensação de que foi insuficiente (com fome!). Malhar também dá fome. Não se atentar aos sinais do corpo desde o início pode acabar gerando uma confusão no seu cérebro e uma sensação de descontrole frente aos alimentos após a atividade. Não conte calorias: o mais importante é que o seu corpo esteja preparado para o exercício e não encare esse momento como uma situação estressante!

Organize-se…

Considere o horário da atividade para programar a sua refeição. Sendo assim, se você for malhar após grandes refeições, como o almoço ou jantar, dê o tempo necessário para que a sua digestão ocorra da melhor forma possível. Durante o processo digestivo em sua fase inicial, existe a necessidade de um aporte sanguíneo maior para o aparelho digestivo. Se um exercício físico é praticado simultaneamente, os músculos vão exigir um fluxo sanguíneo muito aumentado, “competindo”, prejudicando assim a digestão e podendo causar sensação de mal-estar. Então, ao organizar a refeição lembre sempre do tempo que você terá até o momento atividade, para não gerar conflito desagradável entre a digestão e a malhação.

Cuidado com modismos!

Não existem alimentos milagrosos “que ajudam a secar e definir”. Shakes e suplementos são a promessa da vez. Shakes solúveis (em pó) são considerados produtos ultraprocessados e podem levar à perda da percepção de fome e saciedade. Os suplementos, por sua vez, devem ser usados em casos específicos sob orientação profissional.

Hidratação é fundamental!

A água está presente em todos os processos do nosso corpo, e durante a atividade perdemos muita água pelo suor. Beba água regularmente e sempre que tiver sede. Para facilitar, leve uma garrafinha com você.

Resumindo…

Exercício saudável inclui alimentar-se e hidratar-se normalmente para ter a energia necessária, bem como se atentar aos sinais do corpo. Sendo assim, a atividade física deve fazer parte da rotina, mesmo que seja caminhar um quarteirão. E, principalmente, deve trazer prazer, com foco na saúde e qualidade de vida.

Meta principal: sensação de bem-estar.
Se você está com um treinamento intenso, consulte com um nutricionista especializado em nutrição esportiva.

Leia também:

Que tal conhecer meu método Efeito Sophie, que ensina a transformar sua relação com a comida e a voltar a escutar os sinais do seu corpo? São seis semanas com vídeos e materiais que vão explicar sobre hábitos alimentares, e como recuperar o prazer de comer. Saiba mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *