[addthis tool="addthis_inline_share_toolbox_tjqy"]

O que é low carb?

Carboidrato é mesmo vilão das dietas? Afinal, o que é low carb?

O carboidrato vive no centro das discussões sobre dieta: é proibido comer à noite? Precisa cortar de vez? O que é low carb – seria essa dieta a solução definitiva para o emagrecimento?

De fato, o carboidrato rende assunto no mundo da nutrição e acaba respingando sempre na capa das revistas, na fala das famosas, nas rodas de conversa, no papo do elevador. Afinal, hoje em dia a “deixa” mais comum quando se quer puxar assunto é comida: mas infelizmente, sempre focado no que NÃO podemos comer.

Bom, antes de mais nada gostaria de levantar um pouco a bola do carboidrato, para em seguida entrar na questão sobre o que é low carb. Ao invés de demonizar o pobre coitado, que tal entendermos o papel que ele tem na nossa alimentação?

O carboidrato é uma das principais fontes de energia do ser humano e está presente em diversos alimentos: pães, massas, arroz, frutas e legumes… Sendo assim, mais do que nos fornecer energia, este nutriente também é essencial para a realização de várias funções metabólicas. O carboidrato fornece uma fonte rápida de glicose, que é nossa gasolina. O seu cérebro se nutre de glicose, assim como seus músculos, células, etc…

O segredo não é restrição/dieta, mas procurar comer melhor. Conheça aqui o curso online Efeito Sophie que desenvolvi para te ajudar a fazer as pazes com a comida e seu corpo!

O que é low carb?

Não é preciso fazer muito esforço para encontrar a resposta para a pergunta: “o que é low carb”, afinal, o que não falta na internet são orientações duvidosas sobre dietas da moda. E essa é mais uma delas. Como o próprio nome já diz, o plano low carb é baseado em pouco ou quase nada de carboidrato. No lugar dele, entram os alimentos ricos em proteínas e gorduras.

Já me posicionei muitas vezes contra as dietas que excluem um grupo alimentar inteiro, e nesse caso não seria diferente. Afinal, o que é low carb? Na maioria dos casos, esse low carb não deixa de ser uma dieta restritiva, e dietas restritivas não funcionam, porque não são sustentáveis a longo prazo. Elas podem alterar sua relação com a comida, especialmente com os carboidratos, e ocasionar perdas de controle quando voltar a comer!

Não se engane, mesmo se consegue manter o foco, é pouco viável passar o resto da vida sem comer pão, macarrão e arroz!

Cortar carboidrato emagrece mesmo?

A resposta a essa pergunta é matemática: claro que excluir toda a fonte de carboidrato da sua alimentação vai trazer um emagrecimento imediato. Mas isso não acontece de forma saudável: a ausência desse nutriente é entendida como uma agressão ao corpo. Com isso, o organismo vai buscar sobreviver procurando em suas reservas os nutrientes que estão faltando. Ou seja, alguma gordura vai de fato embora, mas músculos também. E perder massa magra não é bacana em termos de saúde!

Sempre gosto de relembrar que o corpo entende dieta restritiva como um período de escassez, de inanição. Para se defender, ele irá tentar se adaptar aumentando o apetite e diminuindo o metabolismo. É por isso que 95% das pessoas que fazem dieta restritiva acabam engordando de novo.

Carboidrato engorda? Pode comer a noite? Confira meu vídeo sobre o tema!

Faça as pazes com o carboidrato!

A pergunta “o que é low carb”, na verdade, é bem antiga. Ela só aparece como uma roupagem diferente de tempos em tempos porque isso faz parte do mercado das dietas: demonizar alimentos ou grupos alimentares. A má fama do carboidrato ganhou força na década de 70 com a dieta do Robert Atkins, que justamente vendia a ideia de que o carboidrato seria a principal causa de obesidade no mundo. Ou seja: tirem carboidrato, comam proteína e gordura. Emagreçam!

Mas será que isso faz sentido? Com base na ciência e na minha experiência, não acredito que isso possa contribuir nem para o emagrecimento saudável e nem para uma boa relação com a comida. Luto diariamente para desconstruir a ideia de que existem alimentos bons ou ruins. O carboidrato por si só não é o culpado pela epidemia de obesidade que assola o planeta.

É verdade que consumimos demais no nosso cotidiano, o Brasil é um dos campeões do excesso de açúcar e precisamos sim diminuir o consumo. Mas não é tão simples assim, o buraco é muito mais embaixo!

Em vez de cortar todos os carboidratos, procure comer de tudo um pouco. Conheça aqui o curso online Efeito Sophie que desenvolvi para te ajudar a melhorar a sua alimentação e resgatar os seus sinais de fome e saciedade!

Variar é tudo de bom!

Volto a repetir o “mantra” já amplamente conhecido por quem busca o equilíbrio: “tudo em excesso faz mal”. Mas restringir totalmente também não é o melhor caminho, porque não é fácil administrar este tipo de mudança para o resto da vida. O pão ou o arroz, por exemplo, são alguns dos alimentos mais presentes na nossa cultura. E o que dizer da pizza, um símbolo de festa, de alegria?

O que proponho sempre é uma alimentação equilibrada e diversificada, pode carboidrato sim! Se você se alimentar exclusivamente de carboidratos, com certeza vai acumular gordura. Agora, se conseguir incluir mais legumes e frutas, combinar uma alimentação variada ao longo do seu dia, respeitar os sinais de fome e saciedade e, se hidratar de preferência com água, estará no caminho para chegar ao seu peso saudável, que provavelmente não é o peso ou as medidas das capas de revista!.

Foque na saúde e não no peso! Procure priorizar os alimentos in natura, e diminuir o consumo dos ultraprocessados. Variedade e prazer são as palavra-chaves para quem quer fazer as pazes com o próprio corpo: comendo um pouco de tudo, com moderação, o dia a dia fica mais leve e o ato de comer volta a ser um prazer.

Bon appétit!

Veja também:

Que tal conhecer meu método Efeito Sophie, que ensina a transformar sua relação com a comida e a voltar a escutar os sinais do seu corpo? São seis semanas com vídeos e materiais que vão explicar sobre hábitos alimentares, e como recuperar o prazer de comer. Saiba mais aqui!

  • Minha cara! Fiquei pasma ao ler as bobagens que você escreveu. Pra começar. Ser lowcarb, é um estilo de vida e não uma dieta. Porque dieta tem prazo de validade. Tem dia e hora pra começar e acabar. Já o estilo de vida é algo que você acredita. E leva pra sua vida… Falou também em excesso de proteínas e gorduras… Me poupe!!! As quantidades de proteínas e gorduras não mudam. O que muda é o tipo. Se troca lixo por comida de verdade. Temos ricas fontes de carboidratos nos legumes e verduras, apenas substituímos os carboidratos industrializados, pelos naturais…
    Fica aqui o meu relato… Sou diabética. Quando eu fazia dietas acompanhadas e consumia os produtos integrais, eu até emagrecia uns quilos, mas voltava a engordar de novo( o tal efeito sanfona). Minha glicemia não conseguia deixar abaixo dos 120,130. Tomava 4 tipos diferentes de comprimido para hipertensão, de manha e 4 a noite. Não tinha disposição pra nada. Tinha dores generalizada pelo corpo todo… Fazem 16 meses que mudei meu estilo de vida. Perdi 35 kg, ganhei muita disposição. Não tomo mais remédios para hipertensão e minha glicemia dificilmente passa dos 100. Não tomo nenhum medicamento para a diabetes. Tudo o que nós lowcar seguimos já foi provado pela ciência. Só que isso é escondido da população. Não é lucro pras grandes multinacionais fabricantes de remédios que a população saibam da verdade. (Só pra constar, quem financia as faculdades de medicina, são os grandes laboratórios fabricantes de remédios..) PENSEM… Assim como não é lucro pras grandes empresas alimentícias… O lucro deles é manter nós doentes…P.E.N.S.E.M…

  • Perfeita colocação… como biólogo, microbiologista de alimentos, gestor de qualidade da maior indústria de alimentos para consumo humano no mundo, onde trabalhei por 25 anos ! A cultura dos fast food, low carb, suplementos, etc… vêm numa crescente distorcendo o conceito de alimentação.
    As chamadas novas gerações em grande percentual rejeitam a inclusão em seus cardápios: frutas, vegetais variados, legumes das mais variadas espécies, principalmente folhas, talos, raízes… (onde todos deveriam ser origem orgânica)!
    Não é abstenção de um único tipo/grupo de variedade de alimentos que trará a tão desejada forma física e qualidade de vida.
    Tudo é equilíbrio… que soma-se a quantidades… e água em abundância!
    Qq organismo necessita de uma variedade de componentes presentes em fontes variadas.
    O resultado desse equilíbrio denominamos saúde!

    • Isso acontece porque,infelizmente a LOW CARB virou moda e as pessoas estão fazendo uso de maneira totalmente equivocada. Nenhum médico nutrólogo, nem nutricionista sério,disse que low carb significa tirar carboidratos e abusar de gorduras e proteínas como as pessoas andam dizendo por aí. O problema é que as pessoas lêem qualquer bobeira na internet e saem falando sem nenhuma propriedade. O que eu posso dizer é que essa dieta mudou a minha vida, mas não por conta da perda de peso e sim pelo ganho de qualidade de vida. Mas, por favor, procurem profissionais sérios.

  • Engraçado! Faço low carb e pratico jejum intermitente há anos, e não perdi massa magra; pelo contrário. E ainda pratico musculação e HITT…68 anos de idade…
    Perdi massa gorda. Sou uma exceção?

  • Desculpe, mas você está bastante equivocada com relação a dieta low carb.
    Embora esta dieta tenha virado moda por conta da real perda de peso que ela proporciona, sua principal finalidade é excluir de vez tudo aquilo que se transforme em glicose de maneira rápida na nossa digestão, como é o caso dos doces (e tudo que for adoçado com açúcar refinado), farinhas brancas e glúten, visando com isso, um melhor funcionamento do sistema insulina/glucagon, nos fornecendo um melhor aproveitamento dos alimentos sem sobrecarregar nosso organismo.
    Detalhe, esta não é uma dieta à curto prazo para perda de peso. Ela é uma mudança alimentar para toda vida.
    Por favor, antes de criticarem, experimente a dieta low carb por 30 dias. Verifique as mudanças no intestino, pele, sono, humor e disposição de modo geral. Sinta os benefícios e tire suas conclusões,mas antes EXPERIMENTE.
    Cuidado com essa história de “ter” que aumentar consumo de gorduras e proteínas. Ela não é tão simples assim. Cada caso,é um caso!!!!

  • Artigo superficial e sem base cientifica. apenas uma opinião controversa de uma “estudiosa”.
    Desde quando “comida de verdade” deve ser combatida como algo restritivo para alimentação do ser humano
    Sugiro que se informe melhor sobre esse “Estilo de vida”.
    Faço essa alimentação e já atingi meu objetivo de emagrecimento. Estou reintroduzindo carboidratos médios e até altos em índices glicêmicos paulatinamente na minha dieta, além de me proporcionar dias do “lixo” onde como outros alimentos menos saudáveis sem predicar meu estilo de alimentação saudável repleta de comidas de verdade.
    Vale ressaltar que toda essa dieta tem como base vários estudos científicos respeitados e desenvolvidos por profissionais da saúde de renomes internacionais.
    Temos que ter muito cuidado com as “ideias” de pessoas envolvidas com as grandes corporações da industria alimentícia e farmacêutica que visam somente o lucro e pouco se importam com a saúde do ser humano, uma enche a população de “junk food” para depois serem tratadas com os remédios. Basta olhar o crescimento mundial de pessoas acima do peso que vem aumentando vertiginosamente.
    Acho que devemos nos aprofundar, pesquisar e experimentar antes de fazer qualquer oposição rasa sobre um assunto tão importante e interessante sobre aspectos essenciais para a sobrevivência humana no planeta.

  • Tive um AVC isquemico agudo!!! Estava com 107 kg e tenho 1,68cm, fumava e era mt sedentaria!!! Atualmente tenho 60kg, faz mais de um ano q nao fumo, utilizei da dita low carb!!! Mas nao sou uma fissurada, como gosto de nada q venha do porco, nao consumo, farinhas brancas, doces, refris, paes, retirei o sal refinado e substitui pelo do Himalaia, q uso bem pouco!!! De resto como de tudo, carne, frango, peixe, saladas com legumes ou verduras, bolinhos assados, farinhas de aveia, coco, linhaca, amendoas, oleo de oliva e de coco, faco bolos, e adoco com stevia!!! Nao e uma dieta, e um estilo de vida, me sinto mais saudavel, consumo frutas, nunca pesei nehum alimento e nem contei calorias, e tomo mta agua!!! Entao para mim foi uma maravilha essa troca de alimentacao, aprendi a apreciar frutas, e mt tudo de bom!!!

    • Olá Suzana, como vai?
      Que bom que você conseguiu parar com o hábito de fumar e transformou sua relação com a comida 😉
      O caminho é esse mesmo, consumir mais legumes e frutas, combinar uma alimentação variada com alimentos in natura e menos ultraprocessados, respeitar os sinais de fome e saciedade e, como você mesma disse, de preferência se hidratar com água! Dietas não são sustentáveis, temos que sentir prazer de comer! O foco é sempre na saúde 😀
      Abraços, querida.
      Nathália – Equipe Sophie

  • Fiquei recentemente diabética. Tomo sinvastatina e trayenta duo 850. Estou tentando cortar carboidratos e doces. Como doces diets. COMO MUITAS FRUTAS mas nao gosto de gorduras. Qual seria a dieta ideal ?

    • Olá Cristina, tudo bem?
      A Dra. Sophie acredita em uma relação tranquila com a comida. Então, não é necessário restringir alimentos na diabetes, mas sim manejá-los.
      Esse caso deve ser acompanhado de perto por um profissional da saúde. Ele(a) poderá lhe ajudar a fazer esse manejo de forma segura e sustentável.
      Abraços,
      Nathália – Equipe Sophie

  • no lugar da farinha branca,ou melhor,tudo que tem glutên,posso substituir pelo que?
    E sobre as carnes,peixes,frangos,qual a melhor forma de prepará-los?

    • Olá Marisa, tudo bem?
      A Dra. Sophie aconselha substituir alimentos que contenham glúten em casos de alergia (celíacos). Se esse for o seu caso, sugiro que procure um profissional da saúde para que ele elabore um plano individualizado. Nada substitui uma consulta presencial. 😉
      O ideal é que você dê preferência para os assados e cozidos. Nesse link você encontrará diversas receitas interessantes: https://www.sophiederam.com/br/receitas/
      Abraços,
      Nathália – Equipe Sophie

  • Olá Nathália é um prazer compartilhar dos seus conhecimentos. Não sou nenhuma expert no assunto mas concordo com você, o que engorda são os excessos… eu procuro seguir a sua linha de raciocínio, me alimentando bem com moderação nas quantidades e comendo de tudo. Tenho 59 anos 160 e 56 kl e com saúde em dia. Quando sinto que minhas roupas ficam mais apertadas, trato logo de perder o excesso fazendo o jejum intermitente, que para mim é a forma mais tranquila de perder peso comendo normalmente sem passar fome… Abraços de luz bjs no seu coração

  • parabéns ! ótimo site ,para poder tirar bastante dúvidas !
    e seguir também dicas que se encontra nele
    tem bastante conteúdo com relevância.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *