Fabiana Deziderio – Publicitária

Fabiana Deziderio – Publicitária

Autora de "A nem tão gloriosa vida de Glória". Olá, quero dar um depoimento porque sei que ele pode ajudar algumas pessoas que estão confusas sobre o efeito Sophie. Fui diagnosticada com bulimia aos 40, mas antes, fiz inúmeras dietas e o sucesso durava por algum tempo, aí eu voltava a fazer tudo exatamente igual (buscar o fundo dos armários com aquela sensação de vazio que nada preenchia). Encontrei pessoalmente a Sophie, que topou me ajudar. Fiquei sem chão no começo do tratamento, porque mexer com minha válvula de escape (comida) era algo muito doloroso (e eu não tinha ideia disso). O assunto era tão difícil para mim, que eu golfava só de falar de alimentação. Comer por prazer, para quem via pontos e proteínas no prato foi uma luta. Mas topei, porque no fundo eu sabia que tudo o que eu estava fazendo era errado, que não existe felicidade em se odiar, ou querer ser como as outras pessoas. Tive recaídas, questionei inúmeras vezes o processo e engordei, porque eu simplesmente me permiti comer tudo o que tinha vontade, tudo mesmo, inclusive banana split TODOS os fins de semana. Percebi assim que eu não precisava mais dizer adeus ou sofrer comendo saladinha quando, na verdade, eu queria dividir um belo sorvete com cobertura com meus meninos (marido e filho). Fui questionada, ofendida algumas vezes, chorei, fiquei com raiva, comprei roupas maiores, mas no fundo eu sabia que isso chegaria em um bom lugar, o que de fato aconteceu. Teve um momento emblemático antes do tratamento, onde eu fiquei sem emprego e por isso eu comia 2 potes de Nutella por dia, 2 inteiros. Ano passado aconteceu a mesma coisa, todos estavam preocupados com o que faria pela segunda vez na mesma situação. Só que no segundo momento eu já era outra pessoa. Ao invés de me sentir um lixo, a boa relação com a comida liberou espaço e energia para eu desengavetar ideias - minha mente não pára nunca. Então, eu escrevi um livro, abri um e-commerce de crochê e estou montando minha própria empresa de comunicação. Comida não virou mais motivo. Eu como quando tenho fome, não fico mais desesperada. Na minha casa não tem nada light ou diet, eu como pão francês, manteiga e muita coisa boa (os 3 grupinhos amados). Isso refletiu na minha relação com todos em casa. Eu, por ter compulsão e transtorno, demorei demais para perceber que meu corpo é único, que tudo bem eu ter algumas celulites, uma pancinha. Que as pessoas que ficam julgando o corpo das outras são as que mais sofrem e se cobram. Estou emagrecendo, mas não me peso todos os dias, como fazia, e é um alívio ver que todo o tempo que perdia me odiando, virou projetos, vida e paz. Continuem!! Eu demorei para encontrar o caminho, mas é a melhor sensação da vida! Eu sou maior que a comida e ela não manda mais em mim. Sophie Deram, minha querida. Sua presença transformou minhas crenças e cheguei aqui graças a você. Obrigada um milhão de vezes por me libertar! Pela primeira vez me sinto realizada, sei que sou uma pessoa de muitos valores e não há no mundo sensação melhor do que essa!
2018-08-15T16:38:17+00:00