[addthis tool="addthis_inline_share_toolbox_tjqy"]

dietas restritivas

Por que dietas restritivas não são sustentáveis? Respostas fisiológicas do seu corpo

Perder peso? É simples! É só fechar a boca e fazer exercício físico.

É mesmo? Então a gente só faria dieta restritiva uma vez na vida, perderia peso e nunca mais achava os quilos perdidos de novo, não é? Mas, então, que bruxaria é essa que acontece com a grande maioria das pessoas que querem emagrecer? Por que passamos pelo efeito sanfona pelo menos uma vez na vida?

Dieta restritiva emagrece? Emagrece. Mas porque a gente acaba engordando tudo (e até mais) de novo? Em outras palavras, por que as dietas restritivas não são sustentáveis?

Ahh… essa resposta é um pouco mais complicada e envolve muito mais que fechar a boca e ir para academia! E se chama homeostase…

É a homeostase que te engorda de novo!

Para maioria de nós a composição e a quantidade do que comemos muda de uma refeição para outra e de um dia pra outro. E mais, não somos robôs e gastamos mais energia em alguns dias e menos em outros.

Tem dias que passamos deitados no sofá trocando de canal e tem dias que corremos uma maratona. Ou então num dia temos um aniversário de criança com quitutes delícia e outro dia estamos meio gripados e nem conseguimos comer direito. Às vezes o elevador que você pega todo dia está estragado e você tem que subir 8 andares de escada para chegar no escritório.

Emoções, fatores sociais, hora do dia, conveniência, custo são alguns dos vários fatores que não são regulados biologicamente mas que influenciam no nosso consumo energético.

E seu peso? Mesmo com todas essas mudanças no seu cotidiano ele variou muito pouco… E isso reflete esse processo que nunca pára e que regula várias funções no seu corpo ao mesmo tempo! A homeostase energética!

Segundo o significados.com “Homeostase é a capacidade do organismo de apresentar uma situação físico-química característica e constante, dentro de determinados limites, mesmo diante de alterações impostas pelo meio ambiente.”

Se essa homeostase é quebrada vários alertas são ativados no nosso corpo! Isso quer dizer que nosso corpo gosta de estabilidade! Estabilidade é essencial para que todas as nossas funções aconteçam direitinho e em paz.

E quando essa homeostase é abalada por qualquer coisa que seja (uma restrição alimentar imposta por uma dieta restritiva, por exemplo) o corpo começa a ativar alarmes para tudo que é lado no seu corpo! E a homeostase protege a gente muito mais da perda que do ganho de peso! Vestígio evolutivo, baby…

Vou te explicar os eventos que acontecem no seu corpo quando esse alarmes são ativados e você vai entender porque as “jacadas” acontecem inevitavelmente quando você, de repente, decide cortar mil calorias do que você costumava dar para o seu corpo!

O que acontece no trato gastrintestinal na dieta restritiva?

Seu estômago vai liberar mais grelina que é um hormônio que vai lá no seu cérebro avisar que o estômago tá vazio. Fome!

Hormônios são liberados quando tem comida passando e sendo digerida e absorvida. Menos comida passando e sendo absorvida quer dizer menos hormônios liberados ali indo para o cérebro avisando que você comeu. Fome!

Insulina é liberada quando comemos pra fazer a energia na forma de glicose entrar nas células para serem usadas como fonte de energia. A insulina também vai lá no cérebro dizer o quanto de calorias você comeu. Se você come menos, menos insulina é liberada. Fome!

Esses são só alguns exemplos do batalhão que vai se revoltar porque você está restringindo calorias em uma dieta restritiva. E quanto mais restrição, mais fome! Esse é justamente o ciclo vicioso das dietas, conforme explicado no vídeo abaixo:

Voltando ao raciocínio, você não vive isolado numa floresta onde você tem que caçar sua própria comida! Você vive envolvido num mundo obesogênico com comida por todos os lados. Por isso, é pouco provável a gente não acabar jacando com força…

Já entendeu né? Pensa que acabou? Acabou não…

O que acontece no tecido adiposo?

O tecido adiposo é nosso maior estocador de energia a longo prazo. Ele é de extrema importância por nos proporcionar energia para respirar, pensar, fazer nosso coração bater nas 24 horas do nosso dia, nos 7 dias da semana.

Ele libera o hormônio leptina que é o mais poderoso hormônio da saciedade! Ele é liberado a cada refeição junto com a insulina para avisar o cérebro que tem energia entrando. Se você come menos? Menos saciedade. Fome!

Acho que você já deve ter sentido na pele como é difícil lutar contra todos esses hormônios que te impedem de “seguir na linha” e “não jacar”? E acho que a essa altura você já está entendendo que escorregadas na dieta não são falta de “foco, força e fé” né?

E ainda não acabou…

O que acontece no cérebro durante a dieta restritiva?

É seu cérebro que integra e controla todos esses sinais que vêm da periferia. E é seu cérebro que vai ditar o seu comportamento! É seu cérebro que vai te dar a ordem de abrir a geladeira, de ir na padaria, ou de ligar para o delivery.

A parte do nosso cérebro que controla nossa alimentação se comunica com outras diversas áreas cerebrais, incluindo áreas que controla seu humor. E é por isso que as pessoas quando fazem restrição calórica via dietas restritivas ficam irritadas o tempo todo!

Essa região “conversa” também com regiões relacionadas a recompensa e prazer. Por isso que pessoas que fazem restrições severas ficam mais tristes.

É nessa região também que o gasto energético é controlado. Se tem menos comida entrando, tem menos energia. Se tem menos energia tem que economizar, afinal seu corpo continua precisando de energia para te manter vivo!

E é por isso que quando restringimos calorias nos sentimos fracos sem motivação para nada…

Entendeu porque fazer restrições te leva a “jacar” e recuperar os quilos perdidos ou eliminados?

Dizem que se perdemos quilos a gente acha…

Independente do nome que você colocar, a probabilidade deles voltarem é grande se você faz dietas restritivas demais! E é nesse cenário de revolta hormonal e neuronal constante que transtornos alimentares podem surgir…

Mas eu preciso ou quero comer para emagrecer, como devo fazer? Você deve ter paciência… perder peso devagar, adaptando seu corpo sem pressa! Reavalie seus hábitos alimentares, a velocidade e circunstâncias nas quais você come.

Como diz lindamente a Sophie Deram, “viva em paz com a comida!”

Aprender a ouvir seus sinais de fome e saciedade para distinguir a sensação de fome no estômago da fome psicológica é essencial nesse processo!

Faça uma atividade física que te dê prazer!

Assim você prepara seu corpo devagar para essas melhoras nos seus hábitos vindo por aí e a probabilidade de que essas mudanças sejam definitivas é muito, mas muito maior!

Quer aprender como? Aprenda online da sua casa com os cursos da Sophie Deram, nutricionista e criadora aqui do blog.

Referência:

Rosana Dantas é nutricionista, mestre e doutora em Fisiologia Humana pela Universidade de São Paulo, autora do livro “A melatonina não serve só para te fazer dormir”  e idealizadora de um projeto de divulgação científica cheio de bom humor chamado Dieta Científica.

Se você gostou dessa leitura sobre dietas restritivas, provavelmente vai gostar destas aqui que separei para você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *