[addthis tool="addthis_inline_share_toolbox_tjqy"]

hormonio-fome-grelina-leptina

Hormônio da fome Grelina x Leptina: Como atuam no corpo?

Você está trabalhando, ou vendo TV e de repente, vai dando meio dia e o estômago já vai começar a roncar te mandando a informação: opa, está chegando a hora do almoço!

Mas será mesmo que é seu estômago que está te dando a dica do momento certo de comer?

Na verdade o ronco do estômago vem depois que várias informações já foram trocadas em vários níveis no seu corpo. Fazem parte dessa informação:

  • Os níveis de alguns hormônios no seu sangue (grelina, leptina, insulina);
  • Seus tecidos metabólicos (que são, basicamente, fígado, músculo e tecido adiposo);
  • Os estoques energéticos (a energia armazenada nos tecidos);
  • Seu cérebro (que vai juntar todas essas informações e interpretá-las)!

Você vai entender melhor essa conexão no decorrer desse texto.

O que acontece depois que a gente passa um tempo sem comer?

Quando já se passou um tempo sem que a gente se alimente, os níveis de nutrientes que vieram da sua última refeição vão caindo.

E não é só isso.

Os níveis de hormônios como a insulina e a leptina, que são responsáveis por colocar esses nutrientes dentro das células, também vão caindo na circulação sanguínea.

O combustível mais usado por todas as células do seu corpo é o “açúcar” – mais especificamente a glicose – que só vai conseguir entrar na célula se tiver insulina na circulação.

A insulina é o hormônio responsável por abrir os transportadores de glicose, que são como túneis por onde a glicose passa para entrar dentro da célula.

Retomando a situação, depois de certo tempo sem se alimentar os níveis de nutrientes e hormônios vão caindo…

Mas as células do seu corpo continuam precisando de energia para realizar suas funções! Afinal, você continua se movendo, respirando seu coração ainda batendo (ainda bem)!

Você precisa pensar, tomar decisões, atravessar a rua….

E aí, o que acontece?

Grelina, o hormônio da fome (vs leptina)

Essa queda na concentração dos nutrientes e de hormônios como a insulina e a leptina vão levar essa mensagem para o seu cérebro que vai interpretar isso como um S.O.S e vai desencadear uma série de reações para aumentar a produção de um hormônio especial no seu cérebro e que, coincidentemente, é também produzido no estômago: a grelina!

A grelina é conhecida como um dos hormônios da fome, justamente por esse mecanismo que acabei de descrever. Sua liberação vai acontecer quando seu corpo percebe que os níveis de nutrientes estão caindo e que ele precisa continuar funcionando.

O hormônio da fome grelina vai então, por sua vez, estimular vias no seu cérebro e no seu trato gastrintestinal que levarão a produção de saliva na boca, um aumento na sensibilidade do olfato e vão te levar a buscar comida!

Aí você vai olhar o que tem na geladeira para comer, ou vai no restaurante em frente ao escritório…

Enquanto você come, os nutrientes são triturados e passam pelo seu trato gastrintestinal. Essa mensagem vai sendo espalhada pelo seu corpo e, hormônios que levam cada nutriente lá onde ele deve ir, vão sendo liberados!

Assim, os nutrientes e energia serão distribuídos pelas células e seu corpo tem sempre energia suficiente para realizar todas as suas funções como ele deve!

Leptina, o hormônio da saciedade

Nesse momento em que você está se alimentando, os nutrientes e a energia que vieram com os alimentos vão sendo distribuídos no seu corpo.

Então, os níveis de hormônios como a leptina e a insulina vão aumentado! Esses sinais vão ser levados para as células que precisam de energia o tempo todo para funcionar e também para os estoques que serão solicitados depois que você termina de comer e passa um tempo sem se alimentar.

Esses estoques existem no seus músculos e fígado, que estocam glicose. Já seu tecido adiposo, estoca gorduras que serão convertidas em glicose para as células!

Esses sinais não existem somente para levar energia para as células e repor os estoques que foram usado no momento do jejum. Eles servem também para explicar ao seu cérebro que as células têm energia suficiente e que os estoques foram reabastecidos.

Seu cérebro, tendo essa informação vai te levar à consciência de que você já comeu o suficiente e que você já pode descansar os talheres!

Daí a importância de comer devagar, uma das premissas da alimentação consciente que também está no infográfico abaixo:

Concluindo o raciocínio, é pelo processo que acabei de explicar que a leptina e a insulina são conhecidas como hormônios da saciedade!

A homeostase energética: como os hormônios da fome grelina e leptina se equilibram

homeostase energética

E é graças a esse sobe desce de níveis hormonais (do hormônio da fome – grelina – e a leptina – o hormônio da saciedade) e de nutrientes (principalmente a glicose) que seu corpo se mantém funcionando adequadamente durante as 24 horas do seu dia.

E essa relativa estabilidade que seu corpo precisa para funcionar adequadamente é o que conhecemos por aí como homeostase energética!

Graças a ela todas as funções das mais imperceptíveis (como piscar os olhos, respirar, manter o coração batendo, pensar, ver, ouvir e até dormir) às mais complexas (como tomada de decisões, andar, dirigir um carro, atravessar a rua, falar ao telefone) serão realizadas sem grandes complicações!

E é respeitando seus sinais de fome e de saciedade que seu corpo vai seguir os ritmos biológicos, ou seja, permanecendo saudável e pronto para encarar seu dia-a -dia da melhor forma possível!

Logo, não tem porque sentir medo da sua fome, conforme explico no vídeo abaixo:

Nunca se esqueça que seu corpo é muito sábio e sempre vai te alertar quando precisa de energia e quando já tiver o suficiente!

Agora que você já aprendeu sobre os hormônios da fome (grelina e leptina),

Tenho um convite para você. Mesmo que você já saiba como os hormônios da fome (grelina e leptina) funcionam no seu corpo, ainda pode está tendo desafios para atingir seus resultados de saúde.

Em razão disso, eu aconselho que você conheça o meu programa online Efeito Sophie.

Nele, eu não vou falar sobre as últimas dietas da moda, alimentos milagrosos e fórmulas mágicas de emagrecimento – até porque não acredito em nada disso.

Ao invés, eu vou te ajudar a identificar o seu comportamento e relacionamento diante da comida.

A minha missão é fazer com que você possa encarar a alimentação como algo prazeroso, sem estresses e muito menos culpa.

Com algumas dicas práticas, você poderá alcançar o SEU peso saudável, de forma gradual e duradoura.

Vamos juntos nessa?

Se inscreva e comece hoje mesmo o programa online Efeito Sophie!

Enfim, conecte-se com seu corpo e encontre a melhor versão de você mesmo!

Estar em paz com as necessidades do seu corpo pode te ajudar a ter uma vida muito mais saudável, feliz e em harmonia com seus hormônios da fome: grelina e leptina!

Bon appétit!

Referências

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3769497/pdf/nihms506636.pdf

Se você gostou dessa leitura, provavelmente vai gostar também destas aqui que separei para você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *